1 2 3 4 5 6 7 8
NÃO MOSTRE A DEUS O SEU MAIOR PROBLEMA. MAS MOSTRE AO SEU MAIOR PROBLEMA O TAMANHO DE DEUS

28 de Abril de 2007

Quiche de Alface com Carne

QUICHE DE ALFACE COM CARNE

Ingredientes:

Alfaces q.b.

1 lata de cogumelos

2 cenouras

3 dentes de alho

3 ovos

1 colher de farinha de trigo

2 d de leite

1 d de azeite

Sal q.b

1 punhado de ervilhas

1 base de pizza

carne de vaca desfiada

( coloquei as sobras da carne das favinhas da postagem anterior)

Modo de Preparação:

Num tacho, coza a alface junto com as ervilhas e sal q. b.. Seguidamente, desfie "o resto" da carne de vaca que sobrou das favas (postagem anterior), coloque o azeite numa frigideira e pique os alhos deixando-os alourar.

Quando as alfaces já tiverem cozidas, escorra bem a água da alface coloque tudo na frigideira e envolva muito bem. Adicione a raspa da cenoura e os cogumelos.

À parte, bata os ovos com o leite e a farinha num recipiente e adicione tudo ao preparado inicial envolvendo novamente. Por fim, coloque o preparado por cima da base de massa num pirex e vai ao forno a 180 graus, durante aproximadamente 20 minutos.

E tenham um bom apetite!




24 de Abril de 2007

Favas à moda da minha avó...

Estas favas, eu comia quando era miúda e nunca me esqueci, pois eu sou do Alentejo e antigamente quando as favas estavam ainda tenrinhas faziam-se com casca! pois a minha avó fazia assim deste modo. E os filhos foram seguindo os passos... e eu também gosto muito! mas os meus filhos não gostam das favas com casca e como tal, só as faço para mim e para o meu marido.

Ingredientes (4 pessoas):

1 kg de Favas com casca

700gr de carne de vaca

Pedaços de Touçinho (q.b)

Chouriço Preto

Linguiça

Banha de Porco

Àgua (q.b.)

1 Raminho de Hortelã

Fatias de Pão Alentejano

Modo de Preparação:

Parta as favas aos bocados deixando-as com a casca, frite uns pedacinhos de toucinho em banha de porco, depois adicione na gordura do toucinho também uns bocadinhos de carne de vaca e por fim, também, umas rodelas de chouriço preto e outras de linguiça a gosto. Seguidamente junte tudo às favas num tachinho com um raminho de Hortelã e coloque água que baste e leve ao lume brando. Entretanto vá adicionando água aos poucos para ficar apuradinho!

Parta algumas fatias de pão alentejano e coloque no fundo de uma terrina e deite sobre este as favinhas!

Eu costumo também adicionar folhas de cebola, de alho e de hortelã ao preparado inicial... ficam uma maravilha!

Tenham um bom apetite!


Querida Mãe na cozinha...adoro-te


Um dos meus utensílios de cozinha...
O avental, um presente de um dos meus filhos que deu o nome a este blog. E, que eu tanto gosto, por dizer: "Mãe adoro-te".
Nunca é muito dizer que uma das minhas noras me ajuda no blog, pois eu estou a começar não a fazer comida mas sim a trabalhar nas novas tecnologias! e com a minha idade já não é nada fácil mas tenho tido muita força de vontade e gosto de desafios!, como o nosso "PRIMEIRO MINISTRO"... Quer choque tecnológico e eu estou a fazer-lhe a vontade!
... e meti mãos á obra espero que gostem das minhas receitinhas serão práticas e vão comer-se de certeza depois as minhas amigas e amigos vão poder comentar se gostam?
...as que não são virtuais já sei que gostam e as que arranjo daqui para a frente vão morar todas no meu coração!




15 de Abril de 2007

Ementa para hoje: Esparguete com Alho Françês e Atum

Ingredientes:
(Receita para 8 pessoas )
400 gramas de esparguete
4 Latas de Atum Bom Petisco
2 pacotes de Natas
3 Alhos Françeses
1 Pacote de Queijo Ralado
1 dl de Azeite

MODO DE PREPARAÇÃO:
Coza o esparguete só com água e um pouquinho de sal , corte o alho porro em fatias finas e coloque-o numa frigideira com azeite e uma pitada de sal q.b.
Vai mexendo até secar o suco que ele deita,seguidamente, quando estiver lourinho adicione o atum (Escorra todo o óleo que tem o atum ) e envolva tudo com uma colher de pau.
Apague o lume e prepare o esparguete dentro de um tabuleiro para ir ao forno.
Adicione ao esparguete o refogado anterior , juntamente com as natas, e com um garfo envolve tudo muito bem.
No final, polvilhe com queijo ralado e leve ao forno para gratinar.
...vai á mesa no mesmo tabuleiro!
Poderá "enfeitar" este delícioso esparguete com uns raminhos de Hortelã e umas rodelas de laranja, porque os olhos também comem! :)
E para acompanhar poderá fazer uma salada de alface com tomate...
tenham um bom apetite!
E para beber poderá fazer uma Sangria à Lá Ramalho!

Estava divinal... com o aroma afrodisiaco da canela (pau) e Hortelã... misturado com as
diversas frutas cortadas aos pedaçinhos (morango, ananás, laranja, banana, uvas e maçãs)
e com um travo de espumante e uma seven up!
Experimente e comente...Obrigada!


QUEM SOU EU



Sou Natércia!
Sou mãe de três rapazes que são a luz dos meus olhos... sou Alentejana e gosto muito de cozinhar...sou casada com o mesmo R, desde sempre uma vida! 
O meu blog nasceu de uma fatalidade porque passei há 7 anos atrás, quando me diagnosticaram um cancro de mama.  Foi bastante duro, e todos aqueles tratamentos pelos quais tive de passar. No seguimento de tudo isto, uma da minhas nora a Mónica!, fez de tudo para que eu fizesse esta cozinha, que eu tanto AMO! 
E que não me deixa pensar nas doenças. 
Hoje, presentemente, já vou dando baila à minha nora e sou "dona" de 10 blogs, mas sem a sua ajuda nunca teria chegado aqui, pois eu nem sabia trabalhar com computadores. Um beijinho para ela e os meus agradecimentos para o resto da minha vida. 

Quando me perguntam o que me levou a prosseguir através de todos os obstáculos e 
dificuldades, respondo:
Suportei ontem. Posso suportar hoje. E nunca penso no que poderá acontecer amanhã.
Conheci privações angustias e desespero. Quando olho para trás vejo a minha vida cheia de sonhos mortos, esperanças malogradas, ilusões desfeitas, uma batalha que me deixou maltratada e prematuramente envelhecida.

Apesar de tudo, não sinto piedade por mim; não tenho lágrimas para derramar sobre o passado, não invejo as mulheres que foram poupadas pelo infortuno.

Eu vivi, elas apenas existiram. Sorvi até ao fim a taça da vida. Conheço o que elas jamais conheceram. Vejo coisas ante as quais elas estão cegas.

 Só as mulheres, cujos, olhos foram lavados pelas lágrimas, conseguem adquirir a visão ampla e clara que as torna assim como uma espécie de irmãs.

Aprendi uma filosofia que não se pode ganhar com uma vida suave. Aprendi a viver cada dia como ele se apresenta e a não recuar o dia de amanhã.

A sombria ameaça do quadro criado pela imaginação é que nos acobarda. Afastei de mim esse receio, pois a experiência ensinou-me que ao chegar o momento que tanto temia, sempre encontrei compreensão e energia para enfrentá-lo.

Quem viu desmoronar-se o edifício, jamais se importará com as coisas insignificantes e ridículas.

Aprendi a não esperar demasiado das pessoas. Acima de tudo adquiri senso de humor, pois há muitas coisas diante das quais eu teria de rir ou chorar, e quando uma mulher sabe rir dos seus infortúnios, em lugar de entregar-se a crises histéricas, nada existe que a possa ferir.

Não lamento as aflições porque passei pois através delas senti a vida em todos os seus aspectos. Esse foi o preço que tive de pagar.